Skip to content

Nódoas que criam anticorpos

Há sujidade e… sujidade. “Meninos, vão lavar as mãos!”, é uma das frases mais repetidas pelos pais. Se neste caso, antes de cada refeição, não devemos facilitar, noutros podemos ser mais tolerantes e deixá-los crescer e brincar sem tantas preocupações com os micróbios.

É que o contacto com estes seres invisíveis ajuda a aumentar a imunidade e a resistência às infeções. Brincar na relva, rebolar-se no chão ou mexer na terra não representam, só por si, um problema.

As infeções surgem através das pessoas e de animais. Estudos científicos evidenciam que as crianças quando não são expostas a infeções nos primeiros anos de vida, e vivem em ambientes totalmente higiénicos, têm mais probabilidades de vir a desenvolver alergias. Por isso, a maioria dos pediatras recomenda o contacto com essas bactérias, na escola, no parque infantil ou na praia.

Os efeitos podem ser aborrecidos (como no caso da gastroenterite) mas ajudam a consolidar o sistema imunológico da criança. Em suma, da próxima vez que vir o seu filho rebolar no jardim deixe-o sujar-se à vontade. Ele vai divertir-se mais, desfrutando da Natureza, e o seu corpo ganhará anticorpos.

A brincar, a brincar... estará a dar-lhe mais defesas!

Texto de Helena Gatinho

Jornalista da revista Pais & Filhos